quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Justiça suspende explosões de pedreiras em Salto de Pirapora

Ação foi tomada por colocar moradores em risco.
Empresas já foram notificadas. Uma vai cumprir decisão; outra vai recorrer.

Assista a reportagem clique aqui(Foto: Reprodução/TV TEM)
A Justiça suspendeu as explosões de duas pedreiras no bairro Piraporinha de Baixo, em Salto de Pirapora (SP). A ação foi tomada depois que a TV TEM mostrou o risco para as famílias que vivem em sítios na região. Durante as detonações, muitas pedras caem perto das casas e até atingem as residências.Oficiais de Justiça estiveram nesta quarta-feira (22) na mineradora Massari para notificar os responsáveis sobre a liminar.
A pedido do Ministério Público. a Justiça determinou a suspensão das explosões e estipulou uma multa de R$ 100 mil caso haja alguma detonação depois da notificação. A medida também vale para outra mineradora, a Adher, que também funciona no bairro Piraporinha. A partir de agora nenhuma pedreira nesta área poderá usar explosivos, até nova decisão da Justiça.
A determinação judicial trouxe alívio para os moradores, que moram em um sítio a 500 metros da pedreira. Eles correm risco de serem atingidos por pedras, resultado das explosões.
A assessoria de imprensa da mineradora Massari informou que vai cumprir a decisão da Justiça e que segue todas as normas exigidas por lei. Já o diretor industrial da empresa Adher informou, por telefone, que foi notificado e vai recorrer.
Entenda o caso

A equipe de reportagem da TV TEM mostrou a situação em que vivem cinco famílias de um vilarejo em Salto de Pirapora. Eles correm risco de serem atingidos por pedras durante detonações em uma pedreira que fica a 500 metros das casas.

Os fragmentos de rocha não poderiam ultrapassar o limite, que é o espaço da própria mina. Mas não é isso que acontece. As pedras, resultado da detonação, não só ultrapassam como chegam a atingir as residências. O peso delas chega a assustar, chegando a ter cerca de dois quilos. Em um local onde uma das pedras caiu, é possível ver que provocou um buraco no chão. A pedra caiu a menos de dois metros onde as pessoas estavam.

Jornal da Record News: Convidado avalia importância do porto em Cuba para economia brasileira

Publicado em 31/01/2014


Saiba porque o porto de Cuba é bom para o Brasil

Foi só explodir o caso da construção do aeroporto de Aécio nas terras da família, que a galerinha da oposição resgatou aquela velha história de que o Brasil está gastando dinheiro do povo para construir portos em Cuba. A gente já explicou aqui como isso não é verdade. Parte da construção foi financiada, sim, pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e sabe por quê? Porque é bom para o Brasil.
Em editorial, o jornal O Globo explicou que oInvestimento no Porto Mariel faz sentido
(link is external)
. As justificativas seriam: boa oportunidade de negócios para empresas brasileiras; posição geográfica privilegiada e o Brasil ainda tem participação pouco significativa nos mercados caribenho e da América Central; o equivalente a US$ 800 milhões foram gastos na contratação de serviços e de equipamentos produzidos no Brasil, o que gerou cerca de 20 mil empregos no país.

(link is external)
 para a revista Carta Capital, o jornalista José Antonio Lima elenca alguns pontos por que a parceria com Cuba é benéfica para o Brasil. Lembrando que, como ele bem explica, a aliança com Cuba não é ideológica, é pragmática. Mas, já que nem todo mundo entendeu ainda, vamos falar novamente:

1. O Porto de Mariel, em Cuba, é tão sofisticado quanto os maiores do Caribe, Jamaica e Bahamas. O BNDES financiou o valor de 682 milhões de dólares com a garantia de que, em contrapartida, 802 milhões de dólares colocados na obra fossem gastos no Brasil, com a compra de bens e pagamento de serviços comprovadamente brasileiros. Segundo levantamento de Odebrecht, empreiteira que também recebeu financiamento para a obra, esse valor empregou 156 mil brasileiros de forma direta e indireta.
2. Há de se considerar ainda que a população cubana é um mercado potencial para empresas brasileiras. Exemplo disso é que as exportações do Brasil para Cuba quadruplicaram na última década, colocando o Brasil entre os três maiores parceiros da ilha.
3. A parceria será ainda melhor se a economia cubana passar por uma modernização. Nesse aspecto, Mariel é fundamental. Ali, ao contrário do resto do país, as empresas podem ter capital 100% estrangeiro, por causa da criação da Zona Especial de Desenvolvimento Econômico. Isso gera o quê? Mercado para as empresas brasileiras.
4. Outro ponto estratégico de Mariel é sua localização, já que fica a 150 quilômetros do maior mercado do mundo, os Estados Unidos. Embora o embargo estadunidense à Cuba ainda esteja em vigor, ele não se sustenta a longo prazo. O presidente Barack Obama, inclusive, já sinalizou que quer flexibilizar a relação entre os dois países. Quando o embargo cair, Cuba se tornará estratégica para o Brasil por causa de sua posição. E, enquanto existe o embargo, o Brasil ocupa um mercado no qual os Estados Unidos não tem entrada.
O jornalista lembra, ainda, que manter boas relações com Cuba não é mérito dos governos petistas. As relações foram reatadas em 1985 e assim se mantém desde então. O governo de Fernando Henrique, inclusive, também fechou parcerias e acordos com Cuba, que podem ser encontrados aqui
(link is external)
 e aqui
(link is external)
.

Um governo que pensa à frente garante um futuro melhor para todos os brasileiros e brasileiras. E se isso significa expandir nossas fronteiras e ocupar, ainda mais, nossa merecida posição de destaque no cenário internacional, melhor ainda. Resta àqueles que têm síndrome de vira lata entender que essa relação é boa pra todo mundo e passa longe de ideologia, é bom para a economia mesmo.
Fonte: Muda Mais


Segundo o diretor do departamento de relações internacionais e comércio exterior da Fiesp, Thomaz Zanotto, a construção do porto cubano é uma oportunidade para o Brasil melhorar a presença econômica na América Central.





terça-feira, 21 de outubro de 2014

Salto de Pirapora no Jornal Nacional - Explosões em pedreira colocam em risco moradores

Explosões em pedreira colocam em risco moradores de Salto de Pirapora 

Cinco famílias moram em vilarejo há 500m de onde foi instalada a pedreira.
Segundo moradores, pedras de cerca de 2kg caem bem próximo das casas.

Assista á reportagem clique aqui(Foto: Reprodução/TV TEM)
O Ministério Público de São Paulo vai pedir o fechamento de uma mina em Salto de Pirapora (SP). A ação é movida porque as explosões da empresa estão colocando as famílias em risco. Sempre que há detonação das rochas, os integrantes das cinco famílias que vivem por ali, em um vilarejo próximo, correm risco de serem atingidos pelas pedras. A pedreira fica a menos de 500 metros das casas.

Os fragmentos de rocha não poderiam ultrapassar o limite, que é o espaço da própria mina. Mas não é isso que acontece. As pedras, resultado da detonação, não só ultrapassam como chegam a atingir as residências, colocando em risco as famílias. Os moradores guardam algumas das pedras que caem no quintal.

Explosões em pedreira colocam moradores em

risco (Foto: Reprodução/TV TEM)


O peso delas chega a assustar, chegando a ter cerca de dois quilos. Em um local onde uma das pedras caiu, é possível ver que provocou um buraco no chão. A pedra caiu a menos de dois metros onde as pessoas estavam.
Para a dona de casa Ângela Souza Silva, a situação é complicada no local. A gente está em uma guerra. Não sei o que fazer".

Com uma câmera escondida, um produtor da TV TEM registrou a rotina dos moradores toda vez que há detonação. Uma funcionária chega de carro 15 minutos antes e avisa sobre a explosão.

- “Seu filho, sua filha estão aqui?”, diz a funcionária.
- “Estão”, responde a moradora.
- “Por favor, a gente vai detonar às 4 horas.”
- “Tudo bem.”
- “Se vocês puderem ir lá. Eu particularmente acho que vocês deveriam ir ali no abrigo.”

Logo após o aviso, todos se abrigam em uma casa antiga, a única que tem laje, mas que está condenada pela Defesa Civil. Mesmo na antiga casa, as mulheres e crianças não têm nenhuma proteção.

A funcionária, de capacete, reconhece o risco. “Tem pedra que... Bate uma pedra em outra pedra, entendeu? Daí dá ultralançamento... Só que uma pedrinha assim, se bater na gente, arranca a cabeça, né? Com a velocidade que ela vem". Antes da família ser liberada, um susto. Segundos depois da explosão, uma pedra cai bem perto da casa.

A TV TEM teve acesso ao alvará emitido pela prefeitura para o funcionamento da mineradora, mas nele não consta a data de emissão e da validade. De acordo com a própria prefeitura, é irregular, já que ele deve ser renovado todo ano.
O promotor da cidade, Luiz Fernando Guinsberg Pinto, analisou as imagens e disse que irá pedir a suspensão imediata das atividades da pedreira. "Esse vídeo prova de forma inafastável que não só ultrapassa como chega a atingir a residência e pode atingir moradores vizinhos. Essa e uma prova suficiente para instruir esta ação inicial que nós estamos propondo para suspensão das atividades de explosão", conclui o promotor.

A empresa Massari informou que tem todas as licenças para executar as explõsoes e que tomou medidas para diminuir os impactos na comunidade de Barrinha. A empresa informou ainda que tem interesse em comprar as cinco casas, mas que nunca conseguiu fechar negócio.


Já a prefeitura informou que vai verificar o alvará de funcionamento e cancelar o documento se comprovar irregularidades.

Policial Civil autor de vídeo que viralizou diz ter entregue provas contra Aécio à Corregedoria


O vídeo que o policial civil Lucas Gomes Arcanjo postou no Facebook teve mais de um milhão de visualizações, além de 120 mil compartilhamentos.
Viralizou na rede. Veja o vídeo aqui!

Hoje ele foi ouvido na Corregedoria da Polícia Civil, em Belo Horizonte.

Ao repórter Caio Castor, disse que descreveu a base das denúncias que fez na internet contra o ex-governador Aécio Neves e aliados.

No vídeo acima, ele resume algumas das acusações, dentre as quais o uso do Departamento de Trânsito (Detran) mineiro para lavar dinheiro e o uso de órgãos do governo de Minas para fazer caixa dois.

Como o PT assume o governo mineiro a partir de janeiro, espera-se que o governador eleito Fernando Pimentel não fique sentado sobre as provas, se elas de fato forem consistentes.











Veja e repasse!

Policial Civil Mineiro faz novas revelações sobre Aécio: corpo encontrado no sítio dele nunca foi investigado


No primeiro vídeo ele detalha a máfia do DETRAN MG.


Foi chamado à corregedoria e entregou as provas.



Agora faz novo vídeo. Veja a entrevista aqui!

A falta de água, o racionamento em Piedade e o Rio Pirapora no Jornal Nacional

Racionamento de água começa na zona rural de uma das maiores regiões agrícolas de SP


Assista a reportagem clique aqui!

_____________________________________________

Rio Pirapora - Falta de água: Produtores rurais estão proibidos de utilizar bombas para irrigação






sábado, 18 de outubro de 2014

A era Collor, e a história do Brasil a diante


O "caçador de marajás" que dominava o poder do marketing e da oratória conseguiu tornar-se o primeiro presidente eleito depois de 20 anos de ditadura militar. 

Entenda as eleições de 89, o que permitiu a vitória de Collor, suas medidas presidenciais, seus escândalos envolvendo PC Farias, as denúncias do próprio irmão e o primeiro impeachment do Brasil.



A Era Collor é um livro escrito por Rodrigo de Carvalho, que serviu como principal fonte deste vídeo.


Músicas utilizadas:

- CAZUZA: O tempo não para;
- TITÃS: Flores;
- PARALAMAS DO SUCESSO: Lanterna dos afogados;
- BARÃO VERMELHO: Tão longe de tudo;
- CAETANO VELOSO: Alegria, alegria;
- LEGIÃO URBANA: Que país é esse


________________________________________________________


Aécio, Collor e o mesmo discurso




Era FHC; Brasil quebrado e governado pelo FMI


Crise da água prejudica quatro cidades na região de Sorocaba

Além de Sorocaba, o desabastecimento afeta também Itu, Salto e Piedade
Foto: Rio Pirapora em Salto de Pirapora
As consequências da crise hídrica no Estado de São Paulo já afetam quatro municípios da Região Metropolitana de Sorocaba. Além de Itu, que sofre com o desabastecimento há nove meses, Piedade, Salto e Sorocaba também administram problemas. Em Piedade, a Sabesp lacrou, em caráter emergencial, bombas de irrigação utilizadas por agricultores e criou um impasse. Veja aqui! 

A assessoria de comunicação da Prefeitura local informou que ontem os lacres começaram a ser retirados e os produtores orientados a utilizarem o recurso de maneira responsável, sem desperdício. A equipe da Defesa Civil foi encarregada de fiscalizar o uso correto da água no município. 

Em Salto, por "divergências no encaminhamento das ações" de combate ao desabastecimento, o prefeito Juvenil Cirelli (PT) exonerou o superintendente do Saae Rodnei Bergamo e criou um conselho gestor para gerenciar os problemas do setor. Além disso entram em vigor na cidade a partir de segunda-feira um novo sistema de contenção. 

Naquela data, os bairros serão divididos por setores e passam a receber água em dias distintos, separados por numeração de dias pares e ímpares entre 20h e 4h. Por exemplo, na própria segunda, dia 20 , serão atendidos os bairros do setor Santa Cruz; já na terça, 21, esse mesmo setor não será abastecido, voltando a receber água no dia seguinte. 

Cirelli revelou que a medida visa fazer com que os problemas gerados pela antiga fórmula, onde as regiões elevadas da cidade não estavam sendo atendidas, sejam finalizados, garantindo que todos sejam atendidos de forma igualitária, já que, somados, os três mananciais que atendem Salto (Pirahy, Buru e Ingá) estão com 35% do volume de capacidade. 

Hoje, começam a vigorar dois novos decretos: o primeiro permite que o município utilize a água de reservatórios particulares para abastecer a população; o segundo determina a economia do uso da água dentro de todos os espaços públicos municipais, como praças, fontes, e cascatas, entre outros. 

O governo também informou que a fiscalização contra o uso inconsciente da água fiscalizado pela Guarda Civil Municipal vem dando resultado. Entre quarta-feira, dia 15 e às 12h de ontem a corporação recebeu 32 denúncias, das quais 20 foram apuradas e 17 comprovaram ser verdadeiras. Não foi necessário aplicar a multa de R$ 241, já que os responsáveis deixaram de cometer o abuso flagrado.


Bando assalta fazenda em Salto de Pirapora; além de roubar o bando cometeu agressão física


Imagem: Google Street View
Cinco marginais encapuzados e armados com armas longas e revólveres renderam dois vigias da “Fazenda Malabo”, situada na Estrada do Piraporão, no Bairro Piraporão, em Salto de Pirapora.

Em seguida o bando rendeu mais 6 homens que trabalham na fazenda e roubou celulares, tênis, relógios, joias, dinheiro não contabilizado e um Fiat Uno de cor preta. O crime ocorreu no início da madrugada de sexta-feira (17/10). Os criminosos fugiram, porém, abandonaram o Fiat Uno adiante.

Dois homens sofreram agressão física com coronhadas de revólver e foram levados ao pronto-atendimento da Santa Casa de Salto de Pirapora, onde ficaram sob observação médica.

A Polícia Civil vai analisar as imagens do sistema de monitoramento da fazenda para tentar identificar os criminosos.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Ação de guardas civis em Salto de Pirapora é considerada violação de domicílio



Quatro guardas civis abordaram um adolescente que fazia uso de maconha, e em seguida se dirigiram para a residência do menor, situada na Rua Inglaterra, Bairro Campo Largo. 


Segundo versão dos guardas, o pai do menor averiguado autorizou que fosse realizada revista no interior da casa, os guardas realizaram revista, todavia não localizaram droga. Durante a ação dos guardas, o pai do adolescente decidiu chamar um advogado e este questionou os guardas a respeito da ação no interior da casa, sem mandado judicial.

O proprietário da residência teria afirmado ao advogado que não autorizou a entrada dos guardas na casa. O caso foi parar na delegacia de Salto de Pirapora. O advogado representou pela detenção dos quatro guardas apontando que houve violação de domicílio (artigo 150 do Código Penal). O delegado Gilberto Montenegro Costa Filho atuou os guardas e arbitrou fiança de R$ 241,34.

Após o pagamento da fiança os guardas foram liberados. O caso ocorreu na quarta-feira (15/10), por volta das 19h, mas o desfecho da ocorrência só encerrou quase no final da noite.

Leia a seguir o artigo 150 da Código Penal.  Entrar ou permanecer, clandestina ou astuciosamente, ou contra a vontade expressa ou tácita de quem de direito, em casa alheia ou em suas dependências.

Pena - detenção, de um a três meses, ou multa. § 1º - Se o crime é cometido durante a noite, ou em lugar ermo, ou com o emprego de violência ou de arma, ou por duas ou mais pessoas.

Pena - detenção, de seis meses a dois anos, além da pena correspondente à violência.
§ 2º - Aumenta-se a pena de um terço, se o fato é cometido por funcionário público, fora dos casos legais, ou com inobservância das formalidades estabelecidas em lei, ou com abuso do poder. 

§ 3º - Não constitui crime a entrada ou permanência em casa alheia ou em suas dependências: I - durante o dia, com observância das formalidades legais, para efetuar prisão ou outra diligência; II - a qualquer hora do dia ou da noite, quando algum crime está sendo ali praticado ou na iminência de o ser.

___________________________________________________________

Guardas são autuados por invasão domiciliar em Salto de Pirapora

Agentes invadiram casa após flagrarem um adolescente usando maconha.
Eles pagaram fiança e foram liberados; processo administrativo foi aberto.

Quatro guardas municipais foram autuados em flagrante por invasão domiciliar na madrugada desta quinta-feira (16) em Salto de Pirapora (SP). Eles entraram na casa de um adolescente flagrado consumindo maconha, no bairro Campo Largo.

De acordo com o delegado Gilberto Montenegro Costa Filho, os agentes invadiram a casa com o pretexto de fazer as diligências sem respeitar quesitos legais. “Não havia autorização dos pais do menor e eles não tinham mandado de busca. E mesmo se tivessem, não poderiam ter realizado isto durante a noite”, explica.

O adolescente de 17 anos foi encontrado fumando um cigarro de maconha em uma rua no mesmo bairro da casa. Foi então que os guardas se dirigiram até a residência. Assustados, os pais do jovem acionaram um advogado, que pediu a detenção dos guardas.

Segundo o delegado, nada foi encontrado pelos agentes na casa do adolescente que representasse uma situação de flagrante. “Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Tem que autuar e trazer para a delegacia, não ir para uma casa em período noturno. É uma coisa garantida constitucionalmente.”

Os guardas foram autuados quando registravam a ocorrência envolvendo o uso de droga pelo menor. Eles foram liberados após o pagamento da fiança de R$ 242 cada e irão responder em liberdade. Também foi registrado o boletim de ocorrência do flagrante do adolescente consumindo a droga. De acordo com o delegado, o fato de o cigarro estar pela metade e com indícios do uso, não seria caracterizado como tráfico.

Segundo a Prefeitura de Salto de Pirapora, está sendo instaurado um processo administrativo para apuração do caso. "As providências administrativas serão tomadas conforme o resultado extraído do processo administrativo", informou a prefeitura.

Ainda conforme o executivo, a Guarda Municipal esta encaminhando os envolvidos e toda a documentação necessária ao departamento jurídico da prefeitura para apuração dos fatos com maior precisão e aplicação das medidas cabíveis.

"[Os guardas] não serão afastados das funções, uma vez que contra eles não há condenação, mas sim, uma sindicância para apurar o caso. Os GCMs poderão ou serão afastados do trabalho de rua para facilitar a apuração do caso", finaliza.

Fonte: G1 Sorocaba

Rio Pirapora - Falta de água: Produtores rurais estão proibidos de utilizar bombas para irrigação


O baixo nível do Rio Pirapora e seus afluentes fez com que Sabesp e Defesa Civil do município de Piedade tomassem uma atitude drástica.

As bombas de irrigação de diversas propriedades agrícolas têm sido lacradas, no intuito de impedir que os produtores utilizem a água em suas lavouras.

O trabalho teve início ainda na terça-feira (14/10) e tem assustado os agricultores. Sem irrigação, eles temem prejuízos que atingiriam as centenas de milhares de reais, caso não chova nos próximos dias.


Na manhã desta quinta-feira (9/10), concessionária, produtores e a prefeita de Piedade Maria Vicentina (PSDB) se reunirão no Auditório Municipal Orestes Romano para debater a crise.


Fonte: Folha de Piedade


___________________________________________________________

A Sabesp em Salto de Pirapora utiliza dois locais para a capitação da água bruta, Lago Santo Antonio e Rio Pirapora.